Carrinho

Tipos de erva-mate: tudo o que você precisa saber

Como assim, mate pura folha? Existem outros tipos de erva além do Chimarrão e Tereré? O que é esse tal de Blend de erva-mate?

A cultura do Chimarrão está bastante enraizada na tradição do sul do Brasil [1]. Essa bebida ficou conhecida no Brasil como sendo uma bebida tradicionalmente gaúcha (termo pelo qual conhecemos os povos do Rio Grande do Sul). Contudo, grande parte do povo catarinense e paranaense também reconhece a bebida como parte do seu dia-dia, da sua rotina e também da sua tradição familiar. Mas afinal, será que esta é a única maneira de consumir o mate?

A resposta para a pergunta acima é: Não!  

Em um de nossos posts anteriores, Tipos de cuia para o mate, explicitamos algumas características do Chimarrão gaúcho, tal como o tipo de cuia utilizado para o seu preparo e, brevemente, o tipo de erva utilizado para este. Falamos também de outros tipos de mate consumidos principalmente no Uruguai e na Argentina. Nesse texto, vamos nos aprofundar um pouco mais nas características de cada tipo de erva (Ilex Paraguariensis) para o mate.

Confira mais vídeos como este em nosso canal no YouTube

Para começar, devemos dizer que ambos Chimarrão, mate uruguaio e mate argentino são derivados da mesma planta, a erva-mate, cujo nome científico é “Ilex Paraguariensis“. Contudo, as ervas (produto final) utilizadas para cada tipo de mate possuem características diferentes. Essa diferença está bastante vinculada ao tratamento pós colheita da erva mate e seleção das matérias.

Powered by Rock Convert

O Chimarrão

O Chimarrão ou mate estilo gaúcho, utiliza a erva-mate bastante verde e fresca. Diz-se que um bom chimarrão espuma a água ao servir e tem o sabor forte e amargo da erva fresca. O “sapeco” conferido às folhas antes da secagem da erva garante que ela permaneça verde e com seu sabor característico. Existem diferentes granulometrias, mas a erva-mate para Chimarrão é moída, de uma maneira geral, mais fina, quando comparada ao mate argentino ou uruguaio. Ambas folhas e galhos, em diferentes proporções, compõem a mistura final da erva-mate gaúcha.

O mate Argentino

O mate argentino, por outro lado, não utiliza a erva fresca. Os “hermanos” preferem o sabor curtido de uma erva que “descansou” por algum tempo após colhida, sapecada e seca. O tempo de descanso varia, mas de modo geral este pode chegar até 18 meses. De maneira geral a erva argentina tem um aspecto mais amarelado quando comparada à erva gaúcha. Esta também utiliza galhos em sua composição, e os argentinos garantem que estes adicionam minerais e valor nutritivo ao mate (Surfing the planet, 2018) [2].

O mate Uruguaio

Por sua vez, o mate uruguaio se assemelha bastante ao mate argentino. A erva fica estacionada por algum período antes de estar pronta para o consumo. Uma diferença, porém, é que o mate uruguaio não utiliza galhos, dito “sin palo” em espanhol.

Para finalizar, os diferentes tipos de erva-mate estão se difundindo pelo mundo. Recentemente houve uma expansão da cultura. Os produtores começam a sentir maior demanda para exportação da matéria prima. Também nas redes sociais, vemos diversas páginas tendo o mate como seu assunto principal, seja no Brasil, no Uruguai, na Argentina e em outros países do mundo.

 

#mateinbox #vivaomate

 

[1] A definição do Chimarrão gaúcho, tal como seu modo de preparo podem ser verificada aqui.
[2] Blog Surfing the planet. <www.surfingtheplanet.com/tomar-mate-en-argentina-y-uruguay/>, 2018.

Selen Sousa

Author Selen Sousa

More posts by Selen Sousa

Leave a Reply